SELEÇÃO Direcionada da Saccharomyces Cerevisiae Por Alta Pressão Hidrostática para Produção de Etanol 2g de Casca de Coco Verde

Nome: Cárita Turbay Vasconcelos
Tipo: Dissertação de mestrado acadêmico
Data de publicação: 27/11/2019
Orientador:

Nomeordem decrescente Papel
Antonio Alberto Ribeiro Fernandes Co-orientador
Patricia Machado Bueno Fernandes (M/D) Orientador

Banca:

Nomeordem decrescente Papel
Alexandre Martins Costa Santos Examinador Interno
Antonio Alberto Ribeiro Fernandes Coorientador
Juliana Barbosa Coitinho Goncalves Examinador Interno
Luís Adriano Santos do Nascimento Examinador Externo
Patricia Machado Bueno Fernandes (M/D) Orientador

Resumo: O cultivo do coqueiro abrange cerca de 90 países e o Brasil se destaca na produção do coco verde, com aproximadamente 50 mil hectares plantados com alta produtividade e produção o ano todo. Este fator, aliado a expansão da industrialização, que aumenta o tempo de vida de prateleira da água de coco, levam a um aumento na geração de resíduos, principalmente a casca do coco verde, que é tóxica se descartada no meio ambiente. O aproveitamento desta biomassa residual para produzir biocombustível pode reduzir os impactos ambientais e aumentar a renda da cadeia produtiva do coco verde, beneficiando principalmente os pequenos produtores. Algumas cepas da levedura Saccharomyces cerevisiae são modificadas para aumentar o rendimento e viabilidade econômica do processo de conversão da biomassa lignocelulósica em biocombustível. A alta pressão hidrostática (HHP) é uma ferramenta capaz de simular estresses que ocorrem durante a fermentação. Desta forma, HHP pode ser utilizada como uma ferramenta para seleção direcionada para a obtenção de uma cepa com maior resistência aos estresses fermentativos e, consequentemente, um melhor desempenho fermentativo. O objetivo principal deste trabalho é utilizar a HHP como pressão seletiva na cepa G2-104 para obtenção de uma cepa com uma maior capacidade fermentativa no meio de casca de coco verde. A G2-104 é uma cepa de levedura geneticamente modificada capaz de fermentar açúcares de 5 carbonos mas não adaptada aos inibidores presentes na casca de coco verde. Desta forma, pretendeu-se ao final contribuir para o aumento do rendimento do processo de produção de etanol de segunda geração. Os resultados obtidos com este trabalho demonstraram a possibilidade da utilização desta ferramenta para obter uma cepa que produz um maior rendimento de etanol na fermentação do meio de coco verde.

Acesso à informação
Transparência Pública

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Marechal Campos, 1468 - Bonfim, Vitória - ES | CEP 29047-105