ANÁLISE GENÔMICA E TRANSCRIPTÔMICA DE SACCHAROMYCES CEREVISIAE EM RESPOSTA A ESTRESSES CONSECUTIVOS

Nome: Ane Catarine Tosi Costa
Tipo: Tese de doutorado
Data de publicação: 12/08/2021
Orientador:

Nomeordem decrescente Papel
Patricia Machado Bueno Fernandes (M/D) Orientador

Banca:

Nomeordem decrescente Papel
Alexandre Martins Costa Santos Examinador Interno
Fernando Araripe Gonçalves Torres Examinador Externo
Jose Aires Ventura (M/D) Examinador Interno
Patricia Machado Bueno Fernandes (M/D) Orientador
ROGELIO LOPES BRANDAO Examinador Externo

Resumo: COSTA, A.C.T. Análise genômica e transcriptômica de Saccharomyces cerevisiae em resposta a estresses consecutivos. 2021. 123f. Tese (Doutorado em Biotecnologia) – Programa de Pós-Graduação em Biotecnologia, UFES, Espírito Santo. Brasil.
Durante a fermentação, as leveduras enfrentam estresses simultâneos e consecutivos, e sua sobrevivência e a eficiência do processo fermentativo dependem de sua adaptação a essas condições instáveis. Mesmo com o advento das análises ômicas que possibilitaram o estudo do genoma completo de levedura e de seu transcriptoma, a resposta aos estresses consecutivos ainda não é muito clara. Para explorar isso, uma cepa de linhagem industrial (BT0510) floculante, resistente à diversos estresses e com alta produtividade teve seu genoma sequenciado e analisado, seguido de uma análise do transcriptoma após estresses consecutivos. Os resultados foram contrastados com o de outras leveduras. A análise do genoma da BT0510 identificou várias alterações em genes envolvidos no metabolismo de nitrogênio e integridade de organelas, assim como a fragmentação de vários genes de floculação. A cepa também apresentou deleção de alguns genes que codificam asparaginases, genes da família DUP240 e do loci de utilização de maltose. A resposta transcricional comum da BT0510 frente a diferentes estresses consecutivos indicou alterações no metabolismo de carbono, atividade do peroxissomo e resposta a estresse oxidativo. Diversos genes foram apontados como genes chave na resposta como SYM1, STF2 e várias HSPs, além dos fatores de transcrição ADR1 e USV1. A comparação do transcriptoma da BT0510 com o de uma cepa laboratorial em resposta aos mesmos estresses reforçou o papel de ADR1 assim como de SYM1 e de várias pequenas HSPs. A análise comparativa do transcriptoma também indicou STF2 como possível indutor de tolerância na cepa industrial. Em conjunto, estes resultados indicam genes alvos para construção de cepas mais resistentes que podem otimizar diversos processos fermentativos.
Palavras-chave: RNA-Seq. Levedura. Tolerância a estresse. Processo fermentativo. Genoma. Transcriptoma

Acesso ao documento

Acesso à informação
Transparência Pública

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Marechal Campos, 1468 - Bonfim, Vitória - ES | CEP 29047-105