ASPECTOS Fenotípicos e Moleculares de Staphylococcus
aureus Isolados de Infecção Óssea Maxilofacial

Nome: Dalliane Oliveira Soares
Tipo: Dissertação de mestrado acadêmico
Data de publicação: 21/12/2020
Orientador:

Nomeordem decrescente Papel
Sandra Ventorin von Zeidler (M/D) Orientador

Banca:

Nomeordem decrescente Papel
Ana Paula Ferreira Nunes Coorientador
André Luis Souza dos Santos Examinador Externo
Daniel Claudio de Oliveira Gomes Examinador Interno
Sandra Ventorin von Zeidler (M/D) Orientador

Resumo: A osteomielite é a principal doença infecciosa que atinge o tecido ósseo. O agente
etiológico mais frequente nesse tipo de infecção é o Staphylococcus aureus, que
podem ser encontrados na microbiota normal da pele e das mucosas dos seres
humanos, mas em condições favoráveis, podem ser patogênicas estabelecendo
infecção. A osteomielite na região maxilofacial acarreta significativo impacto à saúde
bucal nos países em desenvolvimento. Estas osteomielite, embora ocorra em menos
frequência, apresenta alta morbidade, baixas taxas de cura e muitas vezes a
necessidade de múltiplas cirurgias que podem levar a deformações e sequelas
crônicas, comprometendo a qualidade de vida dos pacientes, além de apresentar
elevado custo hospitalar para o tratamento adequados. O tratamento para
osteomielite maxilofacial é considerado complexo devido a elevada patogenicidade
da cepa através de vários mecanismos de ação e a própria anatomia do osso
afetado. O objetivo deste trabalho foi caracterizar fenotipicamente e genotipicamente
12 cepas de S. aureus, 6 isoladas de osteomielite maxilofacial e 6 de portadores
nasais assintomáticos. Investigar a presença dos genes das adesinas Cna e Bbp
com PCR convencional nessas cepas e identificar as que apresentam o fenótipo
SCVs com método de pressão seletiva com gentamicina. Para confirmação
molecular os resultados mostraram que todas as cepas expressam gene nuc. Na
análise das adesinas, cna e bbp testadas mostraram não ser exclusiva para
estabelecimento da infecção e no teste para identificação fenotípicas sugestiva de
SCVs o resultado foi apenas em cepas com infecção, 5 das 6 cepas analisada.
Concluímos que este assunto é atual e relevante para clínica médica e odontológica.
Nossos resultados são importantes para que novos estudos sejam realizados,
testando novas adesinas e novos métodos para identificação do fenótipo SCVs em
S. aureus.

Acesso à informação
Transparência Pública

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Marechal Campos, 1468 - Bonfim, Vitória - ES | CEP 29047-105