Summary: O Espírito Santo apresenta excelentes condições para o cultivo comercial de diversas frutíferas, dentre elas o macarujá. Duas espécies são amplamente cultivadas no Brasil e no estado: maracujá-azedo (Passiflora edulis Sims. f. flavicarpa Degener) e maracujá-roxo (Passiflora alata Curtis), ambas espécies são bastante suscetíveis às variações ambientais como temperatura, fotoperíodo, luminosidade e precipitação pluvial. Todavia, faltam conhecimentos acerca da fisiologia da planta frente às mudanças nestes fatores. Períodos de estiagem na região norte do ES e as questões das mudanças climáticas podem afetar a produtividade das lavouras e não há estudos sobre a tolerância ao déficit hídrico por parte das espécies de maracujá. As atividades que envolvem estudos de fisiologia do estresse em frutíferas têm como metas avançar no conhecimento dos mecanismos fisiológicos destas planta, e elucidar as relações do metabolismo do carbono com as análises anatomo-histoquímicas,citológicas e com enzimas de reações oxidativas. Com esse projeto, pretende-se determinar padrões do comportamento fisiológico de genótipos e de espécies de maracujá cultivados e nativos em relação ao estresse hídrico, avaliando o metabolismo celular dos genótipos tolerantes e não tolerantes a esse tipo de estresse, integrando fisiologia vegetal com biologia molecular e histologia.

Starting date: 2008-12-10
Deadline (months): 24

Participants:

Rolesort descending Name
Collaborator * Diolina Moura Silva
Collaborator * Valéria de Oliveira Fernandes
Collaborator * Geraldo Rogério Faustini Cuzzuol
Collaborator * Patricia Machado Bueno Fernandes (M/D)
Collaborator * Camilla Rozindo Dias Milanez

Pages

Acesso à informação
Transparência Pública

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Marechal Campos, 1468 - Bonfim, Vitória - ES | CEP 29047-105