A INSEGURANÇA ALIMENTAR E NUTRICIONAL: CORRELAÇÃO
EPIGENÉTICA DO GENE BDNF, STATUS SOCIAL E DE SAÚDE
EM AGRICULTORES FAMILIARES DE CAFÉ DO CAPARAÓ
CAPIXABA.

Nome: Wagner Miranda Barbosa
Tipo: Tese de doutorado
Data de publicação: 17/02/2017
Orientador:

Nomeordem decrescente Papel
Adriana Madeira Alvares da Silva Conforti (M/D) Orientador

Banca:

Nomeordem decrescente Papel
Adriana Madeira Alvares da Silva Conforti (M/D) Orientador
Flavia de Paula (M/D) Examinador Interno
HEBERTH DE PAULA Examinador Externo
João Batista Pavesi Simão Examinador Externo
Marcelo dos Santos Examinador Externo

Resumo: Introdução: A associação entre Insegurança Alimentar e Nutricional (INSAN) e a
violação do Direito Humano à Alimentação Adequada (DHAA) já é conhecida.
Adicionalmente, a associação entre condições de saúde e trabalho de agricultores
familiares e a INSAN tem sido proposta em diversos países, entretanto, o impacto desta
associação com a epigenética por meio de estudos de metilação ainda recebe pouca
atenção. O fator neurotrófico derivado do cérebro (BDNF) é importante para a
manutenção das funções cerebrais, porém o estresse favorece a metilação da região
promotora do gene BDNF e está associada à depressão. Objetivo: Avaliar os fatores
determinantes da INSAN, considerando a metilação do éxon I do BDNF e o estilo de
vida dos cafeicultores familiares. Métodos: Cafeicultores familiares entre 18 e 60 anos
de idade, de 22 comunidades rurais, de 11 cidades do Sul do Estado do “Espírito Santo”,
sudeste do Brasil, participaram do estudo respondendo a um questionário com aspectos
socioeconômicos, de posse e uso da terra, de comportamento, saúde e condições de
trabalho. A avaliação da INSAN foi realizada pela Escala Brasileira de Insegurança
Alimentar. A metilação do éxon I gene BDNF foi verificada pela Reação em Cadeia da
Polimerase Específica para Metilação (MS-PCR). O índice de massa corporal (IMC) e
avaliação nutricional bioquímica foram realizados. Modelos de regressão logística foram
usados para verificar os fatores associados à INSAN. Resultados: Avaliação dos
resultados mostrou a prevalência de INSAN e metilação em 23,68% e 39,01%.A
ocorrência de INSAN explicada pela metilação do gene BDNF ORa = 5,03 (95% CI 1,98
– 12,83), trabalho extra fora de sua propriedade, ORa = 3,36 (95% CI 1,23 – 9,21),
tamanho da terra (hectares) ORa = 0,77 (95% CI 0,67 – 0,90) e número de sintomas
e/ou doenças realatados ORa = 1,12 (95% CI 1,04 – 1,20). Conclusões: A condição de
INSAN dos pequenos cafeicultores, pode ser influenciada pelas condições de vida e
pela metilação do BDNF.
Palavras chave: Epigenética, Segurança Alimentar e Nutricional, Agricultura Familiar,
BDNF, Metilação

Acesso ao documento

Transparência Pública
Acesso à informação

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Marechal Campos, 1468 - Maruípe, Vitória - ES | CEP 29043-900